A transição do mito à filosofia e o processo político-formativo do cidadão grego

Autores

  • Vladimir Fernandes Universidade Paulista

Palavras-chave:

Mito, Filosofia, Cidadania, Educação

Resumo

Este artigo aborda a transição do pensamento mítico ao pensamento racional filosófico e o processo político-formativo do cidadão grego advindo com o contexto da polis democrática. O texto está dividido em quatro itens, precedidos por uma introdução. O primeiro expõe algumas considerações sobre as características da cosmovisão mítica, que antecedem o pensamento lógico racional. O segundo item aborda sobre alguns fatores da esfera social, política e econômica que propiciaram à passagem do mito a filosofia e o surgimento da cidadania. O terceiro analisa as consequências que o novo contexto traz a esfera da educação, considerando o papel desempenhado pelos sofistas, enquanto educadores da polis. O último item considera que a filosofia rapidamente revela sua propensão política e educacional e que o contexto analisado pode contribuir para se pensar questões filosóficas da educação contemporânea.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Vladimir Fernandes, Universidade Paulista

Doutor em Educação pela Universidade Estadual de São Paulo – FE-USP. Mestre em Filosofia pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo – PUC-SP. É docente titular de Filosofia na Universidade Paulista. Atua na Linha de Pesquisa de Políticas públicas e formação de professores na perspectiva filosófica e psicológica. Esse artigo é uma parte da pesquisa – Ética, cidadania e educação: reflexões filosófico-pedagógicas –, que contou com o apoio da Universidade Paulista - UNIP.

Downloads

Publicado

2015-02-17

Como Citar

FERNANDES, V. A transição do mito à filosofia e o processo político-formativo do cidadão grego. Revista Hipótese, Bauru, v. 2, n. 1, p. 80–103, 2015. Disponível em: https://revistahipotese.editoraiberoamericana.com/revista/article/view/108. Acesso em: 23 maio. 2024.

Edição

Seção

Artigos

Métricas